Cartas de mobilização

Semana do Meio Ambiente

Nesta semana, foi comemorado, no dia 5 de junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente, criado pela Assembleia Geral da ONU em 1972.  É o dia que chama a atenção de todos: governantes, parlamentares, membros do judiciário, agentes públicos, empresários e de cada cidadão para rever e repensar a relação com o meio ambiente.

O tema escolhido pela ONU para este ano de 2013, como motivo de estudo, reflexão e busca de novas posturas é “Pense – Coma – Poupe”, e destaca o desperdício de alimento no mundo inteiro. Dados da organização revelam que são desperdiçados 1,3 bilhão de toneladas de alimentos anualmente. Isso compreende um terço de toda a produção mundial. Os países desenvolvidos desperdiçam, por ano, 222 milhões de toneladas. De sete pessoas, uma passa fome diariamente, conforme dados do Unep. Anualmente, 20 mil crianças com menos de 5 anos morrem por desnutrição.

A ONU alerta para o desperdício dos recursos naturais, pois além dos alimentos que são jogados fora, joga-se fora os recursos utilizados na sua produção. Para se produzir um litro de leite, usam se mil litros de água. Para produzir um quilo de hambúrguer, vão-se 16 mil litros. Hoje, a produção de alimento ocupa 25% das terras do planeta, além de ser responsável por 70% do consumo de água doce, 80% do desflorestamento e 30% das emissões dos gases de efeito estufa.

A consciência de cidadania exige cada vez mais que as pessoas escolham os alimentos de menor impacto ambiental: os orgânicos e produzidos localmente.

Porem não basta ao cidadão fazer a sua parte se o Governo Federal continuar inerte na fiscalização, na implementação de estruturas capazes de propiciar a sustentabilidade na produção, no transporte e no consumo de alimentos.

Precisa se evitar a cultura do desperdício. É dever do Estado brasileiro promover uma nova cultura de sustentabilidade. Pois todo desperdício resultante da falta de práticas preventivas e de infraestrutura ineficiente do governo federal prejudica principalmente os mais necessitados.

Vale lembrar a fala do Papa Francisco nestes dias de comemoração do dia do meio ambiente: “os alimentos jogados no lixo são alimentos roubados da mesa do pobre, de quem tem fome. A ecologia humana e a ecologia ambiental são inseparáveis.” O dever de liderar uma integração entre ecologia humana e ecologia ambiental é primeiramente dos governos nacionais, passando pelo comprometimento dos empresários e do cidadão.

autor: assessoria de imprensa