Discursos > 19/10

Para dois registros.

Primeiro, quero parabenizar V.Exa., Sr. Presidente. Eu tenho a honra de, ao lado de V.Exa. no Colégio de Líderes, verificar semanalmente o seu esforço em pautar matérias que sejam de interesse da sociedade. Portanto, louvo o esforço de V.Exa. hoje.
Segunda nota, curiosa, mas que dá bem a vibração do Parlamento: agora há pouco tive que retrucar um discurso com o qual, infelizmente, não concordei – achei lamentável os argumentos do Deputado Paulo Teixeira -, mas, logo após, agora, hei de concordar com o ilustre Líder do PT no sentido de que realmente, Sr. Presidente, não obstante seja seu desejo votar essas matérias importantes hoje, não temos, na Minoria, condição de seguir o objetivo de V.Exa.

A PEC da Música é uma matéria de nosso especial interesse, mas eu penso que na semana que vem, com maior volume de Parlamentares nesta Casa, nós teremos condições de examinar melhor a matéria.

Nós não temos também condições de acompanhar a proposta de votar o Projeto de Lei nº 6.124, de 2005, porque não temos consenso a respeito no PSDB.
Eu quero dizer ao Deputado Pauderney Avelino, que está aqui atrás de mim falando sem parar, que estou falando aqui como membro do PSDB, em nome do partido, do PSDB. Não estou falando como Líder da Minoria. Ele tem o ponto de vista dele, que haverei de respeitar, e peço que respeite o meu.

Mas quero dizer a V.Exa. o seguinte…

O SR. PRESIDENTE (Marco Maia) – Agora, eu quero dizer a V.Exa., Deputado Paulo Abi-Ackel, que, em relação à PEC da Música, estou sentido que há um clima de maioria para a sua retirada da pauta. Agora, em relação ao projeto da AIDS, acho que nós podemos fazer uma sessão extraordinária, votar essa matéria, avançar nesse tema, que é um tema relevante. Mas eu queria pedir ao PSDB…

Deputado Paulo Abi-Ackel PSDB/MG